Senhores Passageiros

sobre aeroportos, aviões e afins

 -

Ricardo Gallo é repórter da Folha

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

Nova regra do Smiles beneficia quem paga caro pelas passagens

Por mariana barbosa
Pelas novas regras do programa Smiles, o passageiro das principais rotas da Gol terá de pagar muito caro pelas passagens para continuar acumulando milhas na mesma velocidade que atualmente.
Em voos de distância igual ou inferior a 1.000 milhas, caso de São Paulo para Rio, Brasília ou Salvador, por exemplo, a passagem ida e volta terá de custar pelo menos R$ 1.000 na categoria programada para que o passageiro consiga acumular o mesmo que na regra antiga (2.ooo milhas).
Na categoria flexível – cujos preços são ainda maiores do que na programada – é preciso gastar pelo menos R$ 835 ida e volta para acumular o mesmo do que no programa antigo (2.500 milhas).
As novas regras do programa de milhagens da Gol entram em vigor no dia 10 de outubro. A grande mudança é que a pontuação passa a ser de acordo com o preço pago pela passagem e não mais pela distância.
Dados da Anac mostram que a grande maioria das pessoas não conseguirá manter o mesmo ritmo de acumulo de milhas: 65% das passagens vendidas no país custam menos de R$ 300 o trecho (ou menos de R$ 600 ida e volta).
A regra nova acaba com o piso de 1.000 milhas por trecho, que hoje é garantido mesmo para voos de distâncias inferiores.
A nova regra acaba também com a pontuação nas tarifas promocionais. Antes, o passageiro conseguia pelo menos 600 milhas num voo ida e volta para destinos mais curtos (30% do piso), na promocional.  (O piso continua valendo apenas para clientes cartão diamante, desde que a passagem não seja adquirida na tarifa promocional.)

O objetivo da Gol com a nova política é privilegiar o passageiro fiel e frequente, que possui cartão Smiles prata, ouro ou diamante. Quem tem o privilégio de portar um desses cartões poderá acumular milhas mais rapidamente. O mesmo não se aplica se o cartão for “básico”, de cor azul.

As novas regras do Smiles garantem duas milhas para cada R$ 1 gasto no bilhete na categoria programada. Na flexível, três milhas para cada R$ 1. Já para o cliente frequente que tem cartões diamante, ouro e prata, esses valores são acrescidos de bônus de 100%, 50% e 25% respectivamente.

Criado há mais de 20 anos pela Varig, o Smiles possui quase 10 milhões de participantes cadastrados.

Blogs da Folha