Senhores Passageiros

sobre aeroportos, aviões e afins

 -

Ricardo Gallo é repórter da Folha

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

O que pode mudar no uso de celulares e tablets a bordo dos aviões

Por Ricardo Gallo

 

Passageiro usa celular em avião (Mariana Barbosa – 5.out.2010/Folhapress)

Um grupo de trabalho criado pela FAA (Administração Federal de Aviação  na sigla em inglês, o equivalente americano à Anac brasileira) propôs flexibilizar o uso de celulares e tablets a bordo dos aviões, segundo reportagem do The New York Times da última terça-feira.

O colegiado sugere liberar o uso de celulares e tablets para que os passageiros vejam filmes, ouçam músicas ou joguem videogames em qualquer etapa do voo, desde que o aparelho esteja em modo avião –em que não há transmissão de sinal. Para tal, o conteúdo terá que ser baixado pelo passageiro antes do voo.

Pela proposta, a conexão à internet a partir desses dispositivos continuará proibida quando o avião estiver abaixo de 3.048 metros, ou 10 mil pés. O veto continuará igual para chamadas telefônicas feitas com o celular.

Para conectar-se à internet, os passageiros terão que usar a rede disponível no próprio avião –nos EUA é comum que as companhias aéreas ofereçam wi-fi nos voos, o que (infelizmente) não ocorre no Brasil.

Criado no ano passado para avaliar o impacto do uso de dispositivos eletrônicos a bordo dos aviões, o grupo de trabalho submeteu as conclusões a a Michael P. Huerta, o chefe da FAA, a quem caberá decidir sobre o tema. A reportagem do NYT diz que as regras podem entrar em vigor em 2014.

Se confirmada, a decisão da FAA tende a ser seguida no Brasil –assim como em todo mundo. A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) espera pelas conclusões da agência americana.

POR AQUI

Por aqui, a Gol pediu neste ano autorização à Anac para que os passageiros dos seus voos usem o celular imediatamente depois de o avião pousar. Hoje, o uso do celular é proibido nessa fase –o que costuma ser ignorado pelos passageiros. A agência ainda não deu uma resposta definitiva.

Para lembrar: veja aqui reportagem publicada em abril na Folha que mostra como fotos “proibidas” dentro do avião viraram hit no Instagram

Blogs da Folha