Senhores Passageiros

sobre aeroportos, aviões e afins

 -

Ricardo Gallo é repórter da Folha

Perfil completo

Publicidade
Publicidade

Piloto por um dia

Por Ricardo Gallo

Quem nunca ficou curioso para saber como funciona uma cabine de um avião por dentro?

Anos atrás, era possível entrar na cabine de avião durante o voo; bastava pedir ao piloto, que, na maioria das vezes, deixava. Mas vieram os atentados de 11 de setembro, em que terroristas tomaram a cabine de aviões nos EUA, e a festa acabou.

Hoje, as regras mudaram: entrar na cabine, só com o avião no solo.

Mas ao menos duas empresas, uma  em São Paulo e outra em Itupeva (a 73 km da capital), oferecem a possibilidade de qualquer pessoa se tornar um piloto de avião por um dia, em rotas como uma viagem entre os aeroportos de Cumbica, em Guarulhos, ao Galeão, no Rio.

A Delta 5  Simuladores (rua Cel. Bento Bicudo, 900, Pirituba, zona norte de São Paulo, telefones 0/xx/11/3975-2859 e 3975-2461) tem simuladores de Airbus A320, modelo usado pela TAM e pela Avianca, e de Boeing 737 NG, usados pela Gol.

O valor é de R$ 180 a hora e a simulação é acompanhada por um técnico.

Já a FDSim (rua Aristodemo Polli, 247, Itupeva, telefone 0/xx/11/4496-1373) tem um simulador de Boeing 737-800, o mesmo modelo de aeronave usada pela Gol, com grau de realismo impressionante.

A experiência custa a partir de R$ 250, com direito a “briefing” antes e “debriefing” depois (são exatamente esses os termos usados pelos pilotos de linha aérea).

Um dos donos da FDSim, Marcelo Murozaki, disse ter investido quase R$ 1 milhão para montar o simulador, a partir de partes diferentes compradas na Europa.

As duas empresas também fazem treinamentos para pilotos.

Abaixo, dois vídeos do Youtube (há muitos outros; basta procurar pelo nome das empresas):

Delta 5:

[youtube eVzKsUlnl5Q nolink]

FDSim:

[youtube g9RxCq8yoJM nolink]

Blogs da Folha