Senhores Passageiros

sobre aeroportos, aviões e afins

 -

Ricardo Gallo é repórter da Folha

Perfil completo

Publicidade
Publicidade
Publicidade
Publicidade

A gente acertaria a outra aeronave em 20 s, diz piloto que evitou colisão

Por Ricardo Gallo

Um avião que interrompe a decolagem já faz muita gente tremer de medo. Agora imagine se o comandante da aeronave anuncia aos passageiros que, não fosse a manobra, o avião bateria em outra aeronave em 20 segundos?

Foi o que aconteceu nesta quarta-feira (14) com o voo 4101 da Azul, que deveria ter partido às 12h35 do aeroporto de Aracaju rumo a Viracopos, com escala em Maceió.

Um vídeo divulgado por um passageiro no Facebook, e reproduzido no portal TNH1, de Alagoas, mostra o piloto falando aos passageiros.

Para quem está acostumado ao tom monocórdio dos pilotos falando sobre altitude, clima e previsão de chegada, o vídeo é impressionante.

Aparentemente calmo, o comandante diz que, durante a corrida para a decolagem, o sistema anticolisão da aeronave (um jato Embraer 195) detectou outra aeronave a cerca de 120 metros de altitude, na mesma direção para onde o jato iria. Restou à tripulação abortar a decolagem imediatamente, com uma freagem brusca típica de manobras assim.

Eis o relato do comandante, a frio: “O problema é o seguinte: a aeronave que estava à nossa frente estava numa condição instrumento. A gente não via ele. Só via pelo nosso sistema anticolisão. Então não dá para eu afirmar quem é –isso é um problema, então tem que haver uma investigação”.

O profissional da Azul continua: “O tráfego [a outra aeronave] estava a 400 pés, isso dá em torno de 120 metros, a gente a um quilômetro de distância  (…), isso é uma colisão em 20 segundos depois que a gente decola. Eu acerto ele, Deus me livre, mas a gente acertaria ele em 20 segundos depois de decolar”.

O aviso aos passageiros ocorreu porque a aeronave teve que parar por uma hora para verificação dos freios antes de uma nova decolagem. A abortagem ocorreu às 12h29, segundo ele.

“Conversei com toda nossa tripulação, o pessoal está tranquilo para prosseguir o voo”, disse.

A investigação do incidente caberá ao Cenipa, órgão da Aeronáutica. O órgão não divulga quantos incidentes desses ocorrem ou já ocorreram no Brasil –em 2013, cheguei a pedir essas informações via Lei de Acesso à Informação, mas a solicitação foi negada.

A Azul confirmou o episódio e diz que a manobra foi preventiva, sem colocar em risco os passageiros. Diz a nota da empresa:

A Azul Linhas Aéreas Brasileiras informa que a aeronave que faria o voo 4101, que faz a rota entre Aracaju e Maceió, teve sua decolagem abortada por sua tripulação após receber indicação de potencial conflito de tráfego devido à indicação da presença de outra aeronave em sua trajetória. Após o ocorrido, a aeronave retornou ao terminal onde foi posteriormente inspecionada pelos técnicos  de manutenção e liberada para o voo com atraso de uma hora. A companhia lamenta eventuais transtornos aos seus clientes e ressalta que tal ação foi uma manobra de caráter preventivo, executada sem colocar em risco a segurança dos ocupantes e sem causar danos à aeronave.”

Blogs da Folha