Para fisgar atenção de passageiro, companhias reinventam vídeos de instruções de segurança

Por Guilherme Magalhães

Usar um cenário colorido, com paisagens deslumbrantes, botar uma música de fundo animada ou convidar astros de Hollywood têm sido algumas das estratégias das companhias aéreas mundo afora para reinventar os vídeos de segurança a bordo e tentar fisgar a atenção do passageiro para essas instruções.

Alguns leitores provavelmente se lembrarão dos vídeos da neozelandesa Air New Zealand inspirados no mundo das franquias cinematográficas “O Senhor dos Anéis” e “O Hobbit”. A empresa se aproveitou do fato de os seis filmes terem sido filmados na Nova Zelândia e chamou o diretor, Peter Jackson, que é neozelandês, para uma pontinha em um vídeo lançado em 2012.

Dois anos depois, a estreia do terceiro filme de “O Hobbit” foi pretexto para trazer não apenas Jackson, mas também o ator Elijah Wood e o cineasta Taika Waititi (outro neozelandês) em um vídeo ainda mais ousado, que sai da cabine e mergulha, de maneira divertida, nos cenários dos filmes épicos.

Depois de um vídeo baseado nos caça-extraterrestres MIB, a Air New Zealand trouxe neste ano os atores Cuba Gooding Jr. e Katie Holmes para uma peça menos inventiva, mas que tem o apelo das belas paisagens neozelandesas entre uma instrução e outra.

A australiana Qantas também apostou nas belezas naturais do seu país de origem. Ao escorregar nas dunas de Tangalooma, no extremo leste da Austrália, um nativo conta que, em caso de um pouso de emergência, os passageiros devem deixar os pertences para trás e descer pelas esteiras infláveis que saem da aeronave.

Em outra passagem, gravada no campo de luzes Uluru, no norte da Austrália, as mais de 50 mil hastes com uma esfera de vidro iluminada na ponta, que florescem ao cair da noite, indicam que luzes se acenderão no corredor da aeronave para guiá-lo até uma saída de emergência.

Quem voa com a Singapore Airlines conhece, durante os cinco minutos de vídeo, pontos turísticos da cidade-Estado de Cingapura. O passageiro ouve a tradicional frase de que as mesinhas devem estar travadas e o assento da sua poltrona na posição vertical durante a decolagem e a aterrissagem assistindo a uma demonstração que se passa no Museu Intan Peranakan.

O local possui uma coleção de mobiliário e artefatos domésticos da cultura peranakan, que chegou à região de Malásia e Cingapura com imigrantes da China entre os séculos 15 e 17.

As companhias europeias também renovaram seus vídeos nos últimos anos. A Air France convidou a dupla parisiense I could never be a dancer para bolar uma coreografia divertida para a sua peça de instrução, que se passa em um cenário “clean” e abusa das “cores francesas” vermelha e azul. Ao fundo, uma animada música da dupla americana Glass Candy te deixa cantarolando a melodia mesmo depois do fim do vídeo.

A holandesa KLM usou a técnica de pintura de azulejos dominada pelos artistas do país para ilustrar seu vídeo, enquanto a espanhola Iberia aproveitou —ainda de forma tímida— alguns cenários de Madri e uma linguagem mais leve.

Mergulhada em uma onda nostálgica, a TAP viajou até os anos 40 e 70 em um vídeo com visual elegante —que conversa bem com o Airbus A330 da empresa portuguesa que recentemente ganhou pintura retrô.

E por aqui?

Em março deste ano, a Latam divulgou seu novo vídeo, feito por uma produtora argentina e inspirado em paisagens e temas da cultura sul-americana. A peça mescla o visual de praia com as montanhas dos Andes e é embalada por uma trilha sonora com notas de ritmos do continente.